Colégio Dom Bosco

Fundamentos Norteadores da Prática Educativa

Com sua orientação religiosa cristã, a Educação Salesiana acredita:

1) que, na Igreja, os Educadores Salesianos são sinais e portadores do amor de Deus aos jovens, especialmente os mais pobres;

2) que todo jovem tem potencialidade para o bem;

3) que o jovem é protagonista de sua formação e de sua história;

4) que a Escola é ambiente capaz de desenvolver a educação integral, humana e cristã;

5) que a função da escola é educar e não somente instruir.

Estas crenças, embasando a ação educativa salesiana, produzem profundas conseqüências nas bases ético-políticas, epistemológicas e metodológicas que norteiam suas práticas educativas.

 

Fundamentos Ético-Políticos

Consolidada por meio de uma caminhada centenária, a forma salesiana de educar vê na maturação e promoção dos valores humanos e, em especial, no desenvolvimento da dimensão religiosa e cristã, a finalidade de seu projeto educativo de promoção integral, humana e cristã do educando. Seu educando, visto na totalidade de suas dimensões e na unidade de seu dinamismo existencial, torna-se centro de toda a preocupação do Sistema Educativo Salesiano.

Norteada pelas suas crenças, a Educação Salesiana estabelece, pois, fundamentos ético-políticos, garantidores do processo de maturação e promoção dos valores humanos. O Colégio Dom Bosco, ao adotar esse parâmetros,

1 – oferece oportunidades de discussão para que se firmem valores transcendentais e essenciais do educando, livres de sectarismo e preconceitos;

2 – oferece oportunidades e condições para que o seu educando participe da vida em sociedade, com ações que o levem à compreensão, à crítica, à responsabilidade, à solidariedade, ao respeito ao bem-comum;

3 – garanti em quantidade e qualidade o seu processo educativo de ensino/aprendizagem;

4 – colabora para que o educando possa contribuir para a manutenção da convivência pacífica em sociedade;

5 – empenha esforços para que possa tornar-se um laboratório de experiências pedagógicas, com a finalidade de um dinâmico aperfeiçoamento qualitativo;

6 – desenvolve mecanismos  para que seu processo educativo seja um instrumento essencial na defesa da dignidade humana e da cidadania;

7 – valoriza seus profissionais de educação com ofertas de possibilidades de crescimento profissional e realização pessoal para que possam ser cada vez mais agentes de promoção e de garantia de qualidade de educação.

 

 

Fundamentos Epistemológicos

Na base de todo o processo educativo, está o educando se aproximando do objeto. É neste movimento que se estabelece a relação sujeito e objeto. Uma relação que acontece em mão dupla e sem prerrogativas. De um lado, a consciência lançando-se junto às coisas e aos demais entes. De outro lado, a própria consciência deixando-se interagir com os entes que se achegam a ela, nela entrando e nela se  objetivando. Assim se estabelecendo a relação sujeito e objeto, o conhecimento vai surgindo como expressão interativa, tendo no sujeito o papel de agente construtor operante e não apenas registrador dos dados impostos, vindos do exterior. Com isto, o conhecimento vai interferindo na educação, não só no saber, mas no agir e no próprio existir do educando.

O educando, visto na abrangência de sua subjetividade, vai integrando a dimensão cognoscitiva de suas atividades, expressa na racionalidade lógica, com a racionalidade emocional, atuando nos seus múltiplos fatores de ordem biológica, psicológica e afetivo-emocional.

A INSTITUIÇÃO, partindo das crenças que nortearam a Educação Salesiana desde os primórdios de sua existência, estabelece como fundamentos epistemológicos:

1 – A Ação Educativa, na Escola, deve desenvolver-se de forma a propiciar uma educação integral;

2 – O Educando, centro de toda a ação educativa, como construtor e participante, deve ser o protagonista de sua formação e de sua história;

3 – A Ação Educativa, na Escola, deve efetivar-se de forma a oportunizar, além da construção do indivíduo, a construção da coletividade, garantindo a individualidade e, ao mesmo tempo, complementando a realização do grupo.

 

Objetivos Gerais

1)    Domínio de corpo de conhecimentos acadêmicos;

2)    Aquisição de habilidades para a vida de trabalho;

3)    Aquisição de capacidade de tomar decisões e posições, a partir de análises;

4)    Aquisição de habilidades de síntese e aplicação de conhecimentos;

5)    Compreensão e uso de tecnologias;

6)    Formação de juízos de valor a partir da vivência no ambiente social;

7)    Aquisição de leitura e escrita e uso competente de tais habilidades;

8)    Cooperação individual e coletiva em situações particulares, locais e globais;

9)    Compreensão de deveres e direitos de cidadania.

 

O currículo escolar valorizará, ainda, as seguintes atividades:

1)    Estudos do meio;

2)    Eventos cívicos e comemorativos;

3)    Viagens de integração e socialização;

4)    Visitas a exposições, mostras culturais e eventos.

 

Atos Legais

2.4.1 – Parece nº 259 de 17 de dezembro de 2002 – aprova matrizes curriculares do ensino fundamental e ensino médio e atos escolares;

2.4.2 – Portaria nº 310 de 17 de julho de 2002 – recredenciar por prazo indeterminado a instituição;

2.4.3 – Portaria nº 15 de 17 de janeiro de 2003 – aprova matrizes curriculares do ensino fundamental e ensino médio e atos escolares;

2.4.4 – Parece nº 225 de 27 de outubro de 2009 – recredenciar a partir de 2008 até 31 de dezembro de 2017;

2.4.5 – Portaria nº 69 de 16 de janeiro de 2009 – aprova a Proposta Pedagógica e as respectivas matrizes Curriculares do ensino fundamental de 9 anos;

2.4.6 – Ordem de Serviço nº 307 de 31 de dezembro de 2010 – aprova o Regimento Escolar.